Os idosos se destacam como anfitriões no Airbnb

No dia 30 de outubro foi comemorado o Dia Internacional das Pessoas Idosas, data estabelecida pela ONU.

O evento foi considerado uma ótima oportunidade para reconhecer o impacto das experiências dos idosos sobre as famílias, comunidades e sociedades. O tema deste ano: “Caminhando para o Futuro”, veio de encontro com a revolução tecnológica que os idosos estão desfrutando.
Um dos temas discutidos foi o levantamento feito pelo Airbnb (aplicativo para hospedagem de curta duração em imóveis particulares) que analisou o público sênior. 

Uma grande parcela dos viajantes entre 60 e 90 anos de idade buscam no Airbnb uma oportunidade de se hospedar em ambientes que fogem da estadia tradicional dos hotéis, pela proximidade com as pessoas de seu destino.

Segundo o aplicativo, no ano passado, mais de 1,5 milhões de viajantes, com idade igual ou superior a 60 anos, exploraram a região da Ásia do Pacífico utilizando hospedagem reservada através do Airbnb.

Além disso, os idosos também são ótimos anfitriões, abrindo suas casas e recebendo viajantes. Eles representam cerca de 10% das habitações ofertadas pelo aplicativo na região asiática.

Na Tailândia, a faixa de anfitriões de 60 a 90 anos cresceu quase 40% no último ano. Eles também são aqueles que recebem a maior renda suplementar anual, sendo quase o dobro da renda anual obtida pela faixa de hospedeiros de 25 a 29 anos. A receita extra estimada é de 2.500 dólares por ano, que é isenta de impostos e complementa as pensões de aposentadorias na região. Além disso, é também nesta faixa etária que se recebem as melhores críticas de hospedagem, com uma porcentagem maior de avaliações de cinco estrelas do que em qualquer outra faixa etária (81% das viagens hospedadas por idosos resultam em uma avaliação cinco estrelas).

A conclusão do aplicativo é que a tendência é o viajante buscar conhecer seu destino, com o olhar do morador local, e os hosts seniors estão numa fase da vida que podem oferecer com simpatia e dedicação uma experiência autêntica e verdadeira sobre o lugar em que estão.

Esta geração de idosos está aprendendo rapidamente a usar tecnologia em favor da economia escassa da aposentadoria.

Abaixo, algumas das “estrelas” do Airbnb na região asiática:

TAILÂNDIA

Com quase 91 anos, a vovó - como ela pede para ser chamada - é a anfitriã mais antiga da Airbnb na Ásia.
A vovó Kanchanaburi vive há 20 anos na região e disse ao aplicativo que “fico feliz em poder proporcionar uma atmosfera caseira para os viajantes e fazer com que meus hóspedes se sintam parte da comunidade, como uma família”.

CINGAPURA

Chwee Lian é uma bisavó de 87 anos que dirige uma loja de deuses taoístas em Cingapura.
Ela trabalhou na loja por 70 anos, período durante o qual criou sete filhos e acabou se tornando essencial na loja fundada há 121 anos. Ela não fala inglês, então seus netos traduzem o que ela diz e, enquanto conta as histórias dessas antigas divindades, ela demonstra a arte de fazer efígies.

MALÁSIA

PP Chan é um guia turístico aposentado com paixão por viajar e explorar lugares novos, que adora receber convidados de todo o mundo.
Seus hóspedes também gostam muito dele e deixam registrados os comentários: "PP Chan é um anfitrião maravilhoso! Muito amigável e apaixonado. Você pode perguntar qualquer coisa sobre a cidade.", "ele é muito hospitaleiro, fazendo de tudo para tornar a estadia memorável".

INDONÉSIA

Adrian é um anfitrião australiano que vive na Indonésia. Juntamente com a esposa, ele administra seu negócio e acolhe viajantes dos quatro continentes. Adrian viajou por todo o mundo e é um grande fã de música - ele toca saxofone e tem um estúdio cheio de guitarras, teclados e bateria.


《《《《《        》》》》》

Inscreva-se no grupo Filhos Atentos, no Facebook, e participe da comunidade que reconhece no cuidado do ente querido uma grande responsabilidade, carregada de emoção e alegria!




Comentários